Vem surgindo uma nova onda de profissionais mais comprometidos com a carreira, com a saúde mental e com elementos básicos de um ambiente saudável de trabalho, de acordo com uma pesquisa feita pelo Grupo Geometry/WPP em 2020.

E isso contribui em grande parte para a ascensão do LinkedIn enquanto rede social aqui no Brasil.

Em agosto de 2021, o LinkedIn chegou a 51 milhões de usuários em terras tupiniquins. No ranking mundial, o Brasil está em quarto lugar entre os países mais conectados.

A rede corporativa cresce em média 14% ao ano no Brasil, com cerca de 130 usuários novos a cada minuto que se passa.

As pessoas parecem ter adquirido a consciência de que a rede corporativa não serve apenas para quando se está desempregado, mas também para conhecer pessoas, fazer negócio, obter oportunidades de trabalho e mais: falar sobre o que se faz, como se faz e porque se faz diferente da concorrência.

Seja você CNPJ ou CPF, a presença do LinkedIn está virando, cada vez mais, uma necessidade no meio corporativo.

Por isso reunimos algumas dicas de como se posicionar nesta rede social que tem um ritmo diferente, um perfil diferente e uma pegada bem mais profissional. Vamos lá?

 

Tom de voz autêntico no LinkedIn

Enquanto usuária assídua do LinkedIn, confesso que são poucas as empresas que vejo produzindo conteúdo coerente e que vale o engajamento.

Portanto, o oceano azul de oportunidades para que a sua empresa se destaque é bem vasto.

Um bom exemplo de empresa que cria conteúdo relevante é a Cacau Show, que posta muito sobre os bastidores da empresa e suas iniciativas internas relevantes para a sociedade, como incentivo à diversidade no quadro de colaboradores, por exemplo.

Outra empresa que acerta muito no conteúdo é a Evolucional, uma startup da área da educação, que também produz conteúdo sobre cultura, inovação e educação na rede.

O que vejo nas duas empresas é uma tendência a expor o que acontece por trás da venda, por trás da estratégia: não é tanto sobre vender, e sim sobre como a máquina funciona, sabe?

Como se faz o que se faz.

Aliás, essa é uma tendência geral do LinkedIn: por lá os relatos sobre o dia a dia, jornada de trabalho e carreira são constantes e muito presentes.

O que me leva a explicar o subtítulo do item: o tom de voz vale muito no LinkedIn, tanto no perfil pessoal quanto no perfil da empresa, a Company Page.

Quanto mais próxima da audiência uma empresa é, mas essa audiência se identifica com ela e, portanto, mais se aproxima, e as chances de fechar negócio aumentam.

 

Constância e flop

No LinkedIn a constância é muito importante, porque você não vai ter engajamento no começo, e persistir é fundamental para ele aparecer.

Pode parecer papo furado de coach, mas não é. Em algum momento você vai encontrar a voz da empresa e vai começar a acertar. O engajamento e o networking virão com o tempo.

Mas precisa ter paciência e consciência de que, enquanto esses dois não chegam, o flop será o seu fiel escudeiro.

Não significa que o seu conteúdo é ruim, apenas que ninguém te conhece ainda. Continue firme na produção de conteúdo.

 

A palavra-chave é: autenticidade

Salvo as proporções do LinkedIn, que é uma rede social com menor adesão dos brasileiros quando comparado ao Instagram por exemplo, já tem muita gente escrevendo por lá.

Isso não quer dizer que o conteúdo é sempre bom. Tem muita gente falando besteira também, então o espaço para crescimento e geração de oportunidades é muito grande.

Se você tem algo a dizer sobre o trabalho que faz e o seu mercado – e pode acreditar, você tem – o LinkedIn é o lugar certo para falar.

Mas não precisa, necessariamente, se espelhar nos padrões já estabelecidos. Crie o seu próprio jeito de falar a partir do ponto de vista da empresa.

Uma linguagem bem estruturada ajuda a criar um tom de voz. E esse é um ponto muito importante na produção de conteúdo para a rede corporativa.

 

Busque as pessoas certas

É muito importante ter uma audiência relevante no LinkedIn. Quanto maior, melhor.

Mas não é só o tamanho que importa: as áreas de atuação das pessoas também são relevantes.

Por exemplo, se você trabalha em uma empresa varejista que vende pela internet, deve procurar pessoas que trabalham em áreas correlatas, como marketing, publicidade, vendas e até mesmo fornecedores em potencial.

Lembre-se que a rede prioriza negócios B2B, mas se o seu negócio é relevante, será relevante em qualquer canal de comunicação.

Tudo vai depender de qual é o objetivo da empresa. Pense: como o LinkedIn pode contribuir com essa meta?

 

Conseguindo mais seguidores para a sua Company Page

Agora aquela dica de milhões. Se você já tem uma rede de conexões interessantes para os objetivos da empresa, pode convidar as pessoas a seguir a página da empresa.

Você precisa ser administrador da página, ok? Veja o passo a passo abaixo.

  1. Acesse a página da empresa;
  2. Clique em “Ferramentas administrativas”, que fica no canto superior direito;
  3. E depois clique em “convidar conexões”;
  4. Caso a opção esteja bloqueada, é porque falta preencher alguma informação na Company Page. Resolvendo isso, a opção já será desbloqueada.

Acompanhe o blog da Spaço

No Blog da Spaço sempre tem dicas muito legais para você melhorar o seu marketing e sair na frente dos concorrentes.

Gostou do texto? Então compartilhe nas redes sociais e aplique as dicas! Depois conta pra gente o que deu certo. Até a próxima!

Carol Balduci

Redatora na Spaço