Em 27 de Setembro comemora-se o Dia Mundial do Turismo. Aproveitando esse gancho viemos falar um pouco sobre como o turismo é um mercado importantíssimo, principalmente em um país como o nosso, visto pelo exterior como um destino perfeito para férias. Então se você gosta do assunto e quer aprender mais sobre o meio, fica com a gente! 😊

Dia mundial do turismo: origem da data

Quem estabeleceu o dia 27 de Setembro como o Dia Mundial do Turismo foi a Organização Mundial do Turismo (OMT) em 1979, durante a Assembleia Geral de Torremolinos, na Espanha. A data foi escolhida por coincidir com o aniversário da adoção dos Estatutos da OMT em 27 de Setembro de 1970. Portanto, em 2021, a data comemora 41 anos de existência.
O maior objetivo do dia é lembrar as pessoas da importância da atividade turística para movimentar a economia, além de manter valores sociais, culturais e políticos vivos. E como o nosso trabalho é olhar para o turismo do ponto de vista mercadológico, trouxemos alguns dados sobre o Brasil. Veja nos próximos itens.

Turismo no Brasil

Todos os anos o Ministério do Turismo brasileiro divulga informações significativas sobre a movimentação de turistas no país. De acordo com os dados publicados em 2020, no ano de 2019 tivemos 6,3 milhões de visitantes, sem contar os próprios brasileiros que viajaram dentro do território.
Dentro desse número, 3,6 milhões foram pessoas residentes nos países vizinhos de continente. Argentinos são os mais expressivos (1,9 milhão), seguidos dos estadunidenses (590 mil) e dos paraguaios (406 mil).
Ainda de acordo com o documento, os meses de maior movimentação turística são Janeiro e Fevereiro, meses de alta temporada. Os estados mais buscados pelos viajantes são o Amapá (7,8%), Bahia (2,4%), Ceará (5,1%), Paraná (6,2%) e São Paulo (5%).

É importante lembrar que aqui no Brasil temos cidades e até estados inteiros que dependem do turismo para o próprio sustento. E não estamos falando apenas de hotéis, pousadas, guias turísticos e empresas especializadas, mas também bares, restaurantes, supermercados, farmácias, lojas de roupa, feiras livres etc. Não só negócios, mas pessoas físicas também dependem desse mercado para viver.

Turismo durante a pandemia

O Ministério do Turismo divulgou em junho de 2021 a segunda edição da Revista Dados e Informações do Turismo, com informações importantes sobre o impacto que a pandemia causou no mercado.
Os setores mais afetados foram o próprio turismo e o setor de economia criativa, que engloba os serviços de comunicação, arquitetura, artes, cultura e tecnologia. Houve uma redução de 59% de faturamento do turismo brasileiro e 58% na economia criativa. Apesar de todos os esforços, infelizmente era algo previsto, uma vez que todas as fronteiras se fecharam e a recomendação era o isolamento social.

Turismo pós-pandemia

Mesmo assim, já é possível ver uma luz no fim do túnel. De acordo com os dados da Febraban-Ibespe, apesar da maioria da população (54%) acreditar que a situação da economia doméstica só vai melhorar em 2022, 25% dos entrevistados manifestaram o desejo de viajar quando tudo isso acabar. É um sinal claro para os estabelecimentos que dependem do turismo: finalmente eles podem voltar a respirar.

O marketing no turismo

A tecnologia trouxe muitas facilidades para o mundo do turismo, assim como marketing digital tornou o mercado mais assertivo na hora de se comunicar com o cliente. Grandes empresas como AirBnb, Decolar.com, Booking e CVC, que trabalham diretamente com turismo, se valem do marketing para impactar as pessoas certas com o pacote certo de viagens.
Usando o marketing digital fica mais fácil atingir o turista em tempo real. Por exemplo, uma pessoa que viaja para uma cidade turística vai pesquisar sobre os restaurantes, bares e pontos turísticos para visitar.

Onde ela pesquisa? No Google. E você enquanto proprietário de um negócio que depende do turismo precisa estar com seu site 100% otimizado para as buscas orgânicas do Google, além de ficar de olho nas avaliações do Google Meu Negócio, na sua página do Facebook e perfil no Instagram e outros sites relacionados, como o TripAdvisor por exemplo.
E o antes também é importante, a hora que o turista está pesquisando seus trajetos, pacotes e roteiros de viagem. Hotéis e pousadas podem fazer parcerias com conglomerados de hospedagem, como Hotéis.com, Booking, Decolar.com e AirBnb, que já têm um trabalho de otimização orgânica e mais: pagam ao Google para aparecer primeiro nas buscas.
Coloque-se no lugar do cliente e imagine o que você gostaria de saber se viajasse para a cidade onde você atua. Os melhores restaurantes, os melhores bares, os melhores passeios, enfim, tudo que agrega informação e valor para a experiência dele.

Outra dica importante é, depois da conversão, ou seja, depois que o cliente comprou a hospedagem, o passeio ou fez a reserva com você, manter esse cliente feliz e incentivá-lo a fazer uma avaliação positiva no seu Google Meu Negócio ou no TripAdvisor. Quanto mais avaliações positivas, melhor.

Para o consumidor é muito importante a opinião de pessoas que já tiveram a mesma experiência, aliás, em todos os aspectos da vida somos assim: sempre pedimos indicação de amigos e familiares sobre todos os assuntos que não dominamos muito bem.

Por hoje era isso, pessoal! Esperamos que a pandemia esteja realmente no final e que 2022 seja um ano melhor para todos nós. Se gostou do conteúdo, compartilhe! 😊

Carol Balduci

Redatora na Spaço