E-commerce lançado, estoque no grau, várias visitas, quando você acha que vai arrebentar no faturamento logo no primeiro mês… nada.
Segundo mês, nada. Ué? O que tem de errado?

Um dos maiores problemas das lojas virtuais hoje é a taxa de conversão e a quantidade de abandonos de carrinho.

Então trouxemos esse compilado de boas práticas para e-commerce e algumas dicas extras de como você pode aumentar a taxa de conversão da sua loja.

O que significa “conversão”

A conversão é toda e qualquer ação valiosa que o cliente executa no seu site. No caso dos e-commerces, a conversão mais importante é a venda de fato.

Para medir a taxa de conversão usamos a métrica CRO, calculada da seguinte maneira:

Total de visitas no mês / Total de vendas no mês = CRO

A RD Station tem uma ferramenta bem legal de benchmarking, em que você compara as suas taxas com as taxas do mercado. Vale a pena conferir clicando aqui.

Boas práticas de um e-commerce

Só em 2020, de acordo com o levantamento da NeoTrust, o e-commerce brasileiro ganhou 20,2 milhões de novos consumidores.

Isso significa que, a cada dia que passa, mais e mais pessoas estão migrando das lojas físicas para as lojas virtuais.

Ao mesmo tempo, o número de e-commerces subiu 40% no mesmo período. Ou seja, os consumidores aumentaram e a concorrência também.

Por isso é tão importante manter boas práticas na sua loja e procurar sempre inovar e mostrar para o cliente por que ele deve comprar com você e não com o coleguinha do site ao lado.

Imagens e detalhes do produto

Tem uma grande diferença entre a loja física e a virtual, que parece óbvia, mas precisa ser dita. Na loja física o cliente pode ver, tocar e saber em detalhes como é o produto antes de comprar.

No caso da loja virtual não. Portanto, tudo que você puder fazer para minimizar essa distância entre o consumidor e o produto, faça.

Use recursos gráficos e audiovisuais sempre que possível. Vídeos, fotos, ilustrações e descrições detalhadas do produto podem fazer a diferença na venda.

Não precisa ser nada mirabolante, até porque quanto mais imagens e mais “mirabolância”, mais pesado o site fica, e consequentemente mais lento. Falaremos disso mais adiante.

Estude sobre User Experience

User Experience nada mais é do que a experiência do usuário. Existem profissionais que trabalham exclusivamente com essa parte e aplicam técnicas específicas para melhorar a experiência do consumidor numa jornada de compra.

Um bom começo para verificar como anda a User Experience do seu e-commerce é realizar um teste como se fosse uma pessoa querendo comprar o seu produto.

Pegue outro computador, ou o celular de um amigo e simule uma compra na sua loja.

Anote todos os problemas que encontrar e as melhorias que identificar. Se não souber como aplicar, pesquise, estude sobre o assunto.

Ninguém melhor do que você para entender o que o seu cliente quer e precisa. Além do mais, caso precise contratar um especialista para aplicar as mudanças, você já vai chegar com um domínio do assunto.

Simplifique a navegação do site

Peça para seus amigos e familiares fazerem a mesma coisa do item anterior, mas não só na compra em si, mas em toda a navegação do site.

Receba os feedbacks de peito aberto e procure entender as críticas que possam aparecer. Elas são valiosas.

É melhor receber um feedback negativo de alguém próximo do que de um cliente, concorda?

Esse tipo de experimento ajuda quem está por dentro do processo a entender onde ficam os pontos fortes e fracos da loja, além de ficar mais fácil decidir o que manter e o que excluir.

Veja algumas dicas de boas práticas de navegação para você já colocar no radar:

  • O carregamento do site deve ser rápido, até 3 segundos no máximo;
  • Tenha um campo de busca eficiente na loja, assim a pessoa não precisa ficar procurando o que ela quer comprar;
  • Simplifique as categorias de produtos e deixe clara a diferença entre elas;
  • Lembre-se que a grande maioria das pessoas vai acessar o seu site pelo celular.

Aposte em provas sociais fortes

Prova social é colocar nas palavras e na boca dos clientes o quão incrível a sua loja e o seu produto são.

As pessoas levam muito a sério as avaliações de pessoas que já compraram em uma loja, se houver imagens e vídeos então, melhor ainda.

Incentive seus clientes a avaliarem a experiência de compra positivamente oferecendo descontos em uma próxima compra ou outras vantagens.

Crie conteúdo relevante

Ter um blog com conteúdos que interessam aos seus consumidores é importante porque gera tráfego gratuito para o site. Tráfego gratuito é igual a mais visitas e, em um site bem otimizado, mais vendas.

Condições de entrega

Já falamos nesse conteúdo que uma tendência forte no e-commerce e no varejo em geral é que os clientes estão procurando as melhores condições de entrega.

É uma tendência tão evidente que os consumidores não se importam de pagar inclusive mais caro por um produto se ele chegar mais rápido.

O frete grátis também é um grande atrativo para os clientes. Avalie se é possível aplicar essa estratégia, pelo menos para os clientes mais assíduos.

Canais de atendimento ao cliente

Aposte em um canal de vendas pelo WhatsApp ou mesmo via chat que tenha um consultor disponível para responder perguntas que surgem ao longo da jornada de compra.

A dúvida é um forte motivo para abandono de carrinho, então se você puder minimizar essas desistências, melhor para aumentar a conversão.

Nem sempre a resposta está no tráfego pago

Se você recebe um número considerável de visitas e não consegue converter, o problema não está no tráfego, e sim no destino, ou seja, a loja.

Isso significa que a resposta não é gastar mais dinheiro com anúncios online que levem as pessoas para o seu site. As vendas vão continuar não acontecendo, a diferença é que você vai passar a gastar mais.

Siga os passos que listamos aqui e observe o resultado ao longo de um mês. Muito provavelmente a conversão vai aumentar sem você precisar mexer nos seus investimentos em Google Ads.

Abandono de carrinho: um problema real

De acordo com um estudo da Barilliance, a taxa média global de abandono de carrinho é de 77,73%. É um número naturalmente alto, mas saber os principais motivos pode te ajudar a pensar em estratégias para fugir das estatísticas.

  • Frete: dados da Moosend indicam que 60% dos abandonos de carrinho são causados pelo alto valor do frete;
  • Valores incorretos: 23% dos abandonos acontecem porque o cliente descobre no checkout que o produto que ele escolheu tem um preço diferente por causa do tamanho ou modelo;
  • Checkout infinito: quanto mais simples e curto um processo de compra, melhor. 28% dos abandonos de carrinho são causados por um processo longo e complicado de checkout.
  • Insegurança: ninguém vai cadastrar seu cartão de crédito e nem confiar em um e-commerce que não transmite segurança. A desconfiança é causa de 19% dos abandonos de carrinho.

Presença online

Uma boa estratégia para inspirar confiança é aparecer em mais lugares da internet além do seu próprio site.

Crie conteúdo nas redes sociais, incentive os clientes a postarem seus “recebidos”, enfim, crie uma grande prova social de que os consumidores podem confiar em você.

Além de funcionar como um ótimo boca a boca, isso também ajuda a aumentar a conversão do seu negócio.

Por hoje era isso, meu jovem padawan. Para mais conteúdos como esse, clique aqui.

Carol Balduci

Redatora na Spaço